BOLETIM DE OCORRÊNCIAS

sábado, 27 de fevereiro de 2016

DESABAFO DE UM POLICIAL DE ITAGUAÍ

Boa noite meus amigos: peço sua atenção em meu texto, que considero mais um desabafo de um Profissional de Policia. Obrigado.
Quero deixar todos de Itaguaí ciente da importância de exigirmos ao senhor que está ocupando a cadeira de Prefeito de Itaguaí, que crie a Secretária de Segurança Publica, pois se tem, não sei onde estar.
Sou policial como todos sabem e me envergonho da calamidade que se encontra a Segurança Publica de Itaguaí (ESSA QUE NINGUÉM VÊ), e garanto a vocês que não existe.
Essa mesma Segurança e Policiamento que não existem para nós moradores do bem, que corremos atrás do melhor para nossas famílias são a mesma que aparece só na hora de assinar e autorizar os BAILES FUNK nos Bairros do Engenho (hoje), com vários convidados do MORRO DO DENDÊ que aqui estão. Amanhã será no Carvão, com seus convidados do AMARELINHO e não se esquecendo do Sem Terra.
Bailes que só podem acontecer com o Alvará do Município e do Estado.
Esses eventos são realizados apenas para o comercio da VENDA DE DROGAS, PROSTITUIÇÃO E ALICIAÇÃO DE MENORES, mas não pense os senhores (família do bem), que o traficante ENGANOU alguém na hora de pedir o alvará para o evento de venda de drogas em seu bairro. Todos estão cientes, não tem bobo com a caneta.
Estou me sentindo um inútil diante deste ato vergonhoso que cometem com a minha PMERJ. Não vejo aqui em Itaguaí melhorias com isso que está aí.
Será que os senhores não se envergonham em saber que todos sabem o que está por trás disso tudo de ruim que está acontecendo em Itaguaí?
Pedem para irem embora, os senhores irão se enrolar com o MP. Aqui nós temos um Ministério Publico que trabalha, mas o trabalho dele é direcionado a pessoas do bem e o certo, e por sua vez, nós temos aqui uma Delegacia na qual seus inquéritos e investigações, são feitos com seriedade e respeito ao próximo.
Moradores de Itaguaí: quero deixar os senhores cientes que eu: Edson Ricardo, não faço parte desta PMERJ DE ITAGUAÍ.
Eu coloco gasolina do meu bolso em meu carro e faço o que era para ser feito não por mim, um Policial, porem na minha condição de morador e de folga.

E nesses dias que tenho feito o patrulhamento particular, vejo tudo, fotografo tudo, sei nome de todos os vagabundos, sei de cada boca de fumo, ajudo a DHBF elucidar 80 % dos homicídios aqui de Itaguaí, efetuo prisões em conjunto com a 50ª DP e o MP, recupero cargas de mercadorias roubadas, prendendo e desarticulando essas quadrilhas de roubo de cargas (às vezes sozinho de folga ou com outro colega de folga da minha PMERJ), prendo ladrões 157, recupero carros.


Mesmo trabalhando em outro Batalhão, quando estou de folga, faço esses serviços aqui em Itaguaí voluntariamente.
PARA ENCERRAR:
Cidadãos de bem de Itaguaí.
Precisamos da verdadeira PMERJ aqui, já provei o suficiente às autoridades e aos moradores de Itaguaí que o problema aqui em Itaguaí no momento atual, não se trata de quantidade de efetivo e sim qualidade no efetivo, colocando em prática a Policia Preventiva e Ostensiva e desse jeito desafogamos a PCERJ que tem por finalidade o exercício das funções de polícia judiciária e apuração de infrações penais.
EM NOME DA PMERJ

PEÇO DESCULPAS PUBLICAMENTE E DIZER QUE ESSA
 NÃO É A PMERJ QUE TEMOS E QUEREMOS.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Comigo é assim:
Quem anda comigo em Itaguaí, tem que fazer o certo: Sem amizade com VAGABUNDOS. Nada de pegar arrego, nem de viatura e nem de CARRO PARTICULAR, vamos para cima dos tralhas com força e sem rabo preso.

BPVE, mais uma vez prendendo e levando de dura.
Guarnição do Sgt Ribeiro e o Sgt janssen (morador e meu irmão de Itaguaí), lograram êxito em prender 03 VAGABUNDOS, uma pistola e recuperar um carro Hb20, na Av. Brasil.
BPVE é um exemplo de batalhão.
Parabéns irmãos.







Conseguiram entender meus IRMÃOS?

COMO EU GOSTO DE ABSORVER CADA VEZ MAIS SABEDORIA, IREI PASSAR AOS SENHORES O QUE APRENDI ONTEM LENDO UMA POSTAGEM DO MEU AMIGO IVAN VIEIRA CARVALHO, E HOJE SENDO SEXTA-FEIRA, ACHEI NÃO SEI O PORQUÊ UM ÓTIMO DIA PARA POSTAR ESSE TEXTO:
Em meu escritório, uma pessoa me perguntou qual o artigo do CP do crime de chantagem. Achei interessante a pergunta, porque a maioria das pessoas leigas, acha que chantagem, realmente, é um crime.Pois bem, não existe o "crime" de chantagem, tipificado no CP, mas pode-se tipificar a "chantagem ", no artigo 158, que é o crime de extorsão, quando o "chantagista" visa vantagem econômica, contra o "chantageado",e, diga-se de passagem, a pena é pesada, ou seja de 4 a 10 anos de reclusão,e, pode ser aumentada de 1/3, até a metade, quando o crime é cometido,por duas ou mais pessoas. Fica a dica. Facebook, também é cultura!

Conseguiram entender meus IRMÃOS?

QUADRILHA ESPECIALIZADA EM ESQUEMA DE ROUBO, RECEPTAÇÃO E DESMANCHE DE CARROS QUE AGIA EM VÁRIOS PONTOS DO ESTADO É DESARTICULADA (PARCIALMENTE).


Ação tem como objetivo cumprir 11 mandados de prisão contra bandidos acusados de diversos crimes

Rio - Uma quadrilha de milicianos especializada em esquema de roubo, receptação e desmanche de carros foi desmantelada na manhã desta sexta-feira pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público, a Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar, a Polícia Civil e a Polícia Federal e a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP). Denominada de Operação Ali Babá, o objetivo é cumprir 11 mandados de prisão preventiva contra os acusados. Também serão cumpridos 15 mandados de busca e apreensão.
Segundo as investigações, os milicianos têm envolvimento em latrocínio, roubo, peculato e adulteração de sinal de veículo automotor. Eles praticavam roubos e furtos de veículos e caminhões, revendendo em seguida para ferros-velhos e receptadores na região de Campos, além de roubos a casas lotéricas e homicídios encomendados.
A denúncia aponta que o líder da quadrilha é Hugo Jorge de Almeida Gonçalves, presidente da Companhia de Serviços Públicos de Cabo Frio (Comsercaf). O bando atuava no Rio de Janeiro, Baixada Fluminense e na Região dos Lagos e as investigações tiveram início a partir de um latrocínio cometido em julho de 2004, na Via Lagos.

Na ocasião, dois policiais militares transportavam R$ 6 milhões quando foram abordados pelos criminosos que realizaram disparos de fuzil. Valério Albuquerque Mello Filho morreu e o outro PM conseguiu fugir, se escondendo no mato. Os milicianos roubaram aproximadamente R$ 4 milhões.

fonte: O DIA ONLINE